sábado, 8 de maio de 2010

Relatividade

Van Gogh

É tudo relativo. A relatividade das coisas é o aspecto mais interessante da vida. Porque nela reside a expressividade mais fundamentalmente intrínseca a ela própria. Eu gosto da relatividade. Ela ajuda-me e ensina-me a melhor perceber a verdade. Que é, em si mesma, algo de razoavelmente relativo.
Eu gosto da relatividade da minha vida. Permite-me destrinçá-la a ela mesma. E tudo, no fundo, que aparece e se relaciona com esse período mínimo que temos para dizer que temos uma vida é importante. Afinal, só temos uma vida para viver. E tudo é relativo. Felizmente.

Sem comentários: